Dicas de como parar de pensar em coisas ruins – SEGREDO REVELADO

Siga nossas dicas se você é uma pessoas muito pensativa, esse artigo vai te ajudar muito! Siga esse ensinamento baseada em evidências de como começar a melhorar suas dificuldades com pensamentos intrusivos.

imagem meramente ilustrativa de uma mulher muito pensativa

Lembrando que se sentir muito incômodo com a aplicação de alguma delas, interrompa e procure um profissional que possa lhe acompanhar de uma maneira mais apropriada.

Pensar demais é o que corrói a vida de muitas pessoas.
Vou te passar algumas conselhos sobre como essa área da ciência pode te ajudar a se relacionar melhor com os seus pensamentos.

Podemos pensar demais sobre o passado, o presente ou o futuro.
Hoje, iremos falar de duas formas de pensamento: a focada no passado, mais conhecida como ruminação, e a focada no futuro, mais conhecida como preocupação.

Existem algumas estratégias que podem ajudar muito a lidar melhor com ambas.
Mas já faço desde agora um alerta: quanto mais crônica for a sua dificuldade de evitar o pensamento excessivo e mais problemático for o seu contexto de vida, mais difícil será mudar isso.

Muitas pessoas sofrem por anos com isso sem que grandes avanços ocorram, vou te dar algumas orientações de como começar a fritar menos os miolos, mas lembre-se que para colocar sozinho essas coisas na prática pode se tornar mais difícil.

O ideal é contar com a orientação de um psicólogo competente para melhorar esse aspecto da sua vida.

A primeira dica é:

Fique mais atento aos seus padrões de pensamento e identifique aqueles que são contraprodutivos, um exemplo disso é quando você fica muito preocupado com algo que não pode controlar,

Algumas pessoas acham que suas preocupações excessivas, mesmo que sejam incômodas, são úteis.

Mas se a preocupação for excessiva, provavelmente ela está atrapalhando mais do que ajudando.
Por isso, reconhecer o problema é o primeiro passo.

Segunda é

Adotar estratégias ativas de enfrentamento em vez do pensamento excessivo.
Você pode trocar a ruminação e a preocupação pela resolução de problemas, por exemplo.
Ela envolve imaginar ações concretas e específicas que ajudariam a lidar com a situação problemática.

Liste em uma folha de papel tanto ações mais imediatas quanto de longo prazo, além de descrever em detalhes como elas poderiam ser feitas.

A terceira dica é


Sempre reservar um “momento da fritação” do seu dia.
Em um horário fixo e durante cerca de 30 minutos, deixe seus pensamentos rolarem soltos, sem reprimir ou julgar nada.
Sua mente deve se preocupar ou ruminar a vontade, como se fosse um rodízio de pizza, só que de fritação.

Quando você se flagrar com algum pensamento chato ao longo do dia, pense algo como: “Eu vou guardar isso para o momento da fritação“.
Ao fritar de forma focada em vez de superficial, como costumamos fazer ao longo do dia, é comum que os pensamentos excessivos vão perdendo a sua força.

O que você está achando do vídeo até agora?Deixe um comentário aqui embaixo para sabermos e não se esqueça de clicar no joinha, seinscrever no canal, clicar no sininho e seguir a gente no Instagram e no Twitter!

A quarta dica é:

Em um momento mais tranquilo, montar um arsenal personalizado de atividades distratoras, o ideal é você testar diferentes atividades.
Ficar com aquelas que mais prendem a sua atenção e se engajar em alguma assim que perceber uma recaída no pensamento excessivo.

Alguns exemplos são exercícios físicos intensos, assistir um episódio de uma série que você gosta, ou se divertir com um jogo.
Dê preferência para atividades que sejam fáceis de realizar e que não tomem muito o seu tempo.

A quinta dica é

Aceitar seus pensamentos como uma parte natural da experiência humana, isso não significa aceitar a validade do conteúdo deles, mas sim que pensamentos vem e vão mesmo quando eles não tem um bom embasamento.

Em um estudo com pessoas vivenciando o transtorno de ansiedade generalizada, o qual envolve preocupações excessivas sobre um ou mais assuntos, mais de 90% das suas preocupações não se tornaram realidade.

Quando você tem um pensamento, pode julgá-lo ou não!
A tendência é julgar de forma automática, mas isso pode te deixar irritado com o pensamento e indica uma dificuldade em aceitá-lo.

Ironicamente, julgá-lo aumentará as chances dele reaparecer ou se tornar mais irritante ainda, isso porque tentar não pensar em algo costuma ativar mais ainda o pensamento em vez de fazê-lo desaparecer.

Muitas pessoas se envolvem nesse ciclo de ansiedade sem perceber, e depois fica cada vez mais difícil lidar com o pensamento, tente não se martirizar caso tenha dificuldade em aplicar essas macetes ou em controlar seus pensamentos.
Se algo assim ocorrer, troque a autocrítica excessiva pela autocompaixão.

Como eu falei logo no início desse artigo, mudar esse tipo de coisa não é nada simples.
Por isso eu sempre recomendo o acompanhamento de um profissional competente nesse tipo de circunstância.

Ele vai tornar essa aprendizagem mais fácil e ajustar tudo de acordo com a sua individualidade,o que pode trazer uma melhora mais significativa e mais rápida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *